segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Avaliação e Intervenção Neuropsicopedagógica – Orleans SC





Ana Lúcia Hennemann¹

Orleans é um município do estado de Santa Catarina, cuja população em 2014 era de 22.311 habitantes. A mesma traz marcos relevantes na sua história envolvendo o casamento de Conde d’Eu e a princesa Isabel Cristina L. A. M. G. R. Gonzaga de Bragança, no século XIX. No entanto, somente em 1913 que obteve sua emancipação política.  

No ano de comemoração de 103 anos, a cidade também terá como novidade: 19 profissionais de neuropsicopedagogia que estão concluindo o curso de Pós-Graduação em Neuropsicopedagogia e Educação Especial Inclusiva, pelo grupo CENSUPEG.
A importância de ter um profissional de neuropsicopedagogia no contexto educacional oportuniza avaliação e intervenção precoce relacionados aos transtornos de aprendizagem. O neuropsicopedagogo recebe na sua formação toda orientação do funcionamento do sistema nervoso e quais as implicações que comprometem a aprendizagem quando o mesmo apresenta prejuízo no seu funcionamento.
Neste último sábado (14/11/2016) as alunas tiveram a penúltima disciplina: Avaliação e Intervenção Neuropsicopedagógica, a qual tive a honra de lecionar. Foram 30 horas de estudos voltados a: - qual o papel do neuropsicopedagogo no contexto institucional, - quais as áreas a serem avaliadas, - quais os instrumentos de avaliação que o neuropsicopedagogo dispõe e - de que forma intervir mediante as situações encontradas.
As primeiras 15 horas da aula, enfocaram todo o entendimento do conteúdo elencado pela Nota Técnica nº 1 – 2016, disponibilizado pela SBNPp (Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia). Num momento posterior, as alunas receberam estudos de casos já realizados, contendo elementos de avaliação e intervenção, os quais deveriam identificar e se apropriar deste conhecimento para apresentar às colegas.
Nas últimas 15 horas, aprendemos a usar na prática a “Escala de avaliação das estratégias de aprendizagem para o ensino fundamental: EAVAP-EF” que é um instrumento que possibilitará as neuropsicopedagogas a auxiliar os alunos a melhorarem suas estratégias de estudo, intervindo de modo precoce, objetivando dessa forma, melhor desempenho acadêmico dos estudantes. Trata-se de um instrumento que identifica as estratégias cognitivas e metacognitivas que o aluno usa durante o estudo, bem como a ausência das mesmas.  Nesse sentido, Boruchovitch (2006 apud Silva e de Sá 1997) esclarece que:
[...]a instrução em estratégias de aprendizagem possibilita aos estudantes ultrapassar dificuldades pessoais e ambientais de forma a obter um maior sucesso escolar. Estratégias de aprendizagem podem ser ensinadas para alunos de baixo rendimento escolar. É possível ensinar a todos os alunos a expandir notas de aulas, a sublinhar pontos importantes de um texto, a monitorar a compreensão da leitura, usar estratégias de memorização, fazer resumos, entre outras.

E como atividade final e de contextualização de toda disciplina, foram ofertados novos estudos de caso, para os quais deveriam pensar na proposta da Neuropsicopedagogia no contexto institucional, ou seja: atendimento coletivo, e montar uma Oficina Temática Neuropsicopedagógica voltada a áreas específicas de construção de habilidades para indivíduos que apresentam dificuldades semelhantes.
E desta forma, não somente por causa desta disciplina, mas por toda a grade curricular organizada no Código de Ética Técnico- Profissional da Neuropsicopedagogia, o grupo CENSUPEG mostra-se como a instituição que prima pela qualificação dos novos profissionais no mercado de trabalho, e estes, certamente farão toda diferença, pois têm a teoria aliada a prática.

Referências:

BORUCHOVITCH, Evely et al. A construção de uma escala de estratégias de aprendizagem para alunos do ensino fundamental. Brasília, Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, 2016.

OLIVEIRA, Katya. BORUCHOVITCH, Evely. SANTOS, Acácia. Escala de estratégias de aprendizagem para alunos do ensino fundamental: EAVAP-EF. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010.


SBNPp. NOTA TÉCNICA Nº 01/2016. Joinville, SBNPp, 2016.  Disponível online em: http://www.sbnpp.com.br/wp-content/uploads/2016/11/Nota-T%C3%A9cnica-01-2016-agosto.pdf


NotaSe você tem dúvidas relativas a Neuropsicopedagogia, consulte o site da Sociedade Brasileira de Neuropsicopedagogia: www.sbnpp.com.br
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
[1]Especialista em Alfabetização, Neuropsicopedagogia e Educação Inclusiva, Neuropsicopedagogia Clínica e Neuroaprendizagem. - whatsApp - 51 99248-4325



Nenhum comentário:

Postar um comentário