quinta-feira, 14 de março de 2013

O caso "Elliot"

Imagem: Rocco Fazzari



Numa passagem do livro AS NEUROCIÊNCIAS COGNITIVAS – de Nicole Fiori, a mesma traz o caso de Elliot, paciente de António Damásio:

Imagem: http://www.psiquiatriageral.com.br/cerebro/texto1.htm
“Elliot homem com inteligência  considerada superior à normal, realizava inúmeras tarefas de maneira isolada, mas não era mais capaz de planejar suas atividades a curto e a longo prazo, de respeitar as instruções e os prazos; arruinou-se financeiramente – comportamento que jamais teria ocorrido anteriormente.  Entretanto Elliot apresentava boas capacidades perceptivas, memória de curto e de longo prazo excelentes e ótima aptidão para aprender, falar, calcular e ótimo foco de atenção ( memória de trabalho). Em compensação Damásio notou que Elliot mesmo sendo gentil e respeitador possuía um ar irônico, um pouco condescendente, frio e distante e que não  parecia ser atingido quando seus problemas eram evocados incluindo  as dificuldades mais íntimas – o que teria constrangido qualquer pessoa. Elliot contava sua “aventura” com um desprendimento total e sem nenhuma emoção aparente. Damásio, suspeitando de um problema emocional, apresentou-lhe imagens que normalmente deviam suscitar reações emocionais ( casa em chamas, acidentes violentos,...) e constatou que Elliot não sentia nenhuma emoção positiva ou negativa vendo as imagens. Assim, Damásio avançou na hipótese de que Elliot era capaz de “conhecer, mas não de sentir” e que a redução de suas capacidades emocionais estava na base da redução de suas capacidades de apreensão racional das situações.”

Obs.: Elliot era um empresário, de razoável sucesso até que ele começou a sofrer de dores de cabeça incapacitantes, apresentava um tumor cerebral (indo da linha mediana do cérebro acima das cavidades nasais até a região situada da parte mais alta das órbitas) que comprimia o tecido cerebral adjacente nos dois lobos frontais. Após a ablação(retirada) do tumor, considerada bem sucedida,  Elliot começou a apresentar as características descritas acima. Sendo assim, Damásio observou que esse comportamento era devido à patologia e não ao simples desvio conjuntural ou um traço de personalidade anterior.

Os scanners e a imagem por ressonância magnética permitiram Damásio localizar as lesões de Elliot, conforme segue: as regiões orbital e média dos dois lobos frontais, mais também, no lobo frontal direito, a substância branca situada sob o córtex cerebral de tal forma que grande parte do córtex pré-frontal direito não era mais funcional. Em contrapartida, nem as áreas motoras e pré-motoras, nem a área de Broca e as regiões vizinhas, nem a base do telencéfalo, nem as outras regiões cerebrais foram lesionadas. Como no caso de Gage, a região lesada era apresentada pela região ventromediana do córtex pré-frontal e era mais extensa à direita que à esquerda.
Imagem: http://www.psiquiatriageral.com.br/cerebro/texto1.htm

O córtex orbitofrontal (COF), a parte do cérebro que Elliot estava faltando, é responsável por integrar as emoções viscerais na tomada de decisões. Ele liga os sentimentos gerados pelo cérebro "primitivo" - áreas tais como o tronco cerebral e da amígdala, que se encontra no sistema límbico - para a corrente de pensamento consciente. Quando esta conexão neural é cortada - quando nossos COFs não podem compreender nossas próprias emoções é impossível tomar decisões decentes. É por isso que o COF é uma das poucas regiões corticais, que são maiores nos seres humanos do que em outros primatas.

Os casos de Gage e de Elliot realçam o papel dos lobos frontais e, mais precisamente, da região pré-frontal, na adaptação do comportamento ao ambiente social.  A nossa razão tem uma base biológica e esquecê-la é iludir-se sobre uma verdade básica, no entender de Damásio: as emoções e os sentimentos são os pilares do nosso funcionamento mental e do nosso agir.


Fonte:

DAMÁSIO, António. O Erro de Descartes ". Porque as emoções, Odile Jacob, 1995. Fonte: Vicente M. Simon professor de Psicobiologia da Universidade de Valência (Espanha). http://www.scienceshumaines.fr/lesdossiers/68/3% 20 -%% 20Pannes 20d'emotions htm.
FIORI, Nicole. As Neurociências Cognitivas. Petrópolis: Vozes, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário