sábado, 23 de março de 2013

Cérebro - máquina de aprender (parte 5)


    No último bloco da reportagem Cérebro-Máquina de Aprender, apresentada pelo Jornal da Globo, os assuntos abordados foram as carreiras e atividades específicas que ajudam a desenvolver a memória.
    Segundo o neurocientista, Iván Izquierdo: As profissões em que a memória fica conservada, apesar da idade avançada, seriam a de professor e a de ator, pois em ambas o indivíduo precisa ler bastante. E a leitura é uma das atividades que mais ajudam a memória...Então, eis aí uma boa dica: LEIA MUITO!!!
   Entretanto, só acrescentaria um item aqui: LEIA MUITO E FALE SOBRE O QUE ESTÁ LENDO!!! Pois, na verdade, o que estas duas profissões tem em comum é justamente isso, explanar suas leituras, evocar da memória aquilo que está internalizado, disseminar o conhecimento, enfim, é como se você fosse um palestrante de suas leituras.
   Outra destaque desta reportagem foi que a prática regular de atividades físicas ajuda a pensar com mais clareza e melhora a aprendizagem: “Malhar ajuda a memória”, em anterior postagem sobre Exercite o Corpo, exercite o cérebro, Freitas (2012) afirmava que “Em estudos com ressonância magnética feitos em indivíduos foi possível observar que quem se exercita regularmente produz uma intensa atividade no hipocampo. Essa região cerebral está associada à memória e à aprendizagem e lá estão armazenadas as células-tronco que darão origem aos novos neurônios.”
   Também foi enfatizado que “Aprender é criar memórias de longa duração”, e conforme Izquierdo “Todas as memórias são associativas. A memória é um fato associativo.”
    Mas o que são memórias associativas? É quando um fato vai desencadeado outro, por exemplo: quando começamos a salivar pelo simples fato de olhar para um alimento apetitoso, por termos, em algum momento de nossa vida associado seu aspecto ou cheiro à alimentação.
   Algo que merece ser mencionado é “Colocar o aluno como sujeito: como protagonista do aprendizado”, pois a neurocientista e educadora Tracey Espinoza colocou:  “Você consegue não prestar atenção quando você é o centro das atenções? Não. Usar atividades em que o aluno faça algo, produza alguma coisa, colabore com os outros, é fundamental. Uma das melhores maneiras de aprender é justamente ensinar”
    Para o neurocientista Robert Lent, o sono também é algo muito importante e muito relacionado com a inteligência, inclusive na opinião dele as escolas deveriam ser em turno integral, mas iniciar lá pelas 9 horas da manhã e com muita atividade lúdica.


Nenhum comentário:

Postar um comentário