quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Exercite o corpo, exercite o cérebro

Por  Sergio Freitas

    
  A ciência coloca um novo e maravilhoso efeito na lista de benefícios positivos da atividade física: aprimoramento do cérebro humano. As mais recentes descobertas indicam que a prática regular de exercícios físicos ajuda a pensar com mais clareza, melhora a memória e proporciona um grande ganho na aprendizagem. E ainda sugere mudanças mais radicais, como a alteração do próprio órgão, com o nascimento e desenvolvimento de novos neurônios.
   Com um trabalho publicado na revista Curret Topics in Behavioral Neurosciences, a pesquisadora americana Henriette van Praag (Ph.D), uma das mais renomadas cientistas no campo da neurogênese ( nascimento de neurônios), afirma que há maior produção de neurônios e um aumento das substâncias que atuam na nutrição e desenvolvimento dessas células em animais submetidos a exercícios regulares. A cientista detectou ainda que o exercício aumenta a capacidade do cérebro  de se adaptar e criar novas conexões e de remapeamento das conexões das nossas células nervosas, o processo que nos ajuda a continuar a aprender. Ela se refere à maneira como nosso cérebro age e reage, à medida que experimentamos uma mudança em nosso ambiente ou desenvolvemos uma habilidade, a chamada neuroplasticidade.
     Em estudos com ressonância magnética feitos em indivíduos foi possível observar que quem se exercita regularmente produz uma intensa atividade no hipocampo. Essa região cerebral está associada à memória e à aprendizagem e lá estão armazenadas as células-tronco que darão origem aos novos neurônios.

   As relações entre exercícios e cérebro estão no centro das atenções da neurociência por suas implicações imediatas  futuras na vida de milhares de pessoas. Há avanços em diversas frentes. Os cientistas comprovaram, por exemplo, que as vantagens começam com a elevação dos níveis de oxigenação e do fluxo sanguíneo no corpo como um todo. O incremento da circulação também estimula a comunicação mais eficiente entre os neurônios. Consequentemente, a atividade física aumenta ainda mais a produção e a liberação de neurotransmissores (hormônios fabricados pelos neurônios que atuam nas sinapses – a comunicação entre essas células). E tais compostos participam de funções como memória, aprendizagem, emoções, sede, sono, fome, bem-estar, ansiedade e humor.
    O resultado é um reequilíbrio das quantidades dessas substâncias no cérebro, melhorando ainda mais o desempenho, não somente do nosso físico, como também da nossa mente.
Imagem: http://jezebel.uol.com.br/o-que-acontece-com-nosso-cerebro-quando-nos-exercitamos-e-por-que-ficamos-felizes/


Texto extraído do caderno “Viver com Saúde”, Jornal NH.
FREITAS,       Sérgio. Exercite o corpo, exercite o cérebro. Novo Hamburgo: Jornal NH, 2012.


Nenhum comentário:

Postar um comentário