terça-feira, 22 de maio de 2012

Pesquisando sobre o cérebro - 6

3.4 LOBOS CEREBRAIS
4. LOBO OCCIPITAL
Imagem:  http://www.cgtrader.com/3D-models/Science-Medical/Brain-with-Eyes-in-a-Human-Head.html
O lobo occipital situa-se posteriormente à linha imaginária que vai do sulco parieto-occipital à incisura pré-occipital, ou seja, na parte inferior do cérebro(nuca) Conhecido por córtex visual uma vez que processa o estímulos visuais. Sua função relaciona-se à visão. A área visual comunica com outras áreas cerebrais que dão assim significado ao que estamos a ver tendo em conta a nossa experiencia passada e as nossas expectativas. Isto faz com que um objeto seja percepcionando de maneira diferente por diferentes sujeitos.

Conforme SILVA(2012), as lesões no lobo occipital podem ocasionar, entre outras, algumas das alterações abaixo:
a)    alucinações visuais
b)    dislexia
c)    agnosia visual ( incapacidade de reconhecer, pela visão, objetos e/ou pessoas e/ou estímulos e/ou coisas que antes conhecia).
d)    cegueira cortical  ( incapacidade de ver por defeito cerebral; pode ter inclusive olhos perfeitos). 


Kapczinski(2011,p.27) também apresenta os mesmos tópicos que SILVA (2012), ao referir-se aos lobos occipitais:
    São os únicos lobos aos quais podem ser  atribuídas funções específicas (visão da cor, do movimento, da profundidade, da distância).Apresentam como principais estruturas as áreas visuais (primária e secundária). Lesão nessa área pode levar a cegueira, alucinações, inabilidade em ver cores e sinestesia.

Fontes: 
KAPCZINSKI, QUEVEDO, IZQUIERDO & COLLS. Bases Biológicas dos Transtornos Psiquiátricos. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2011.
SILVA, Cléber R. A. Aspectos Funcionais do Sistema Nervoso. Novo Hamburgo, Feevale, 2012




Nenhum comentário:

Postar um comentário